Tempos da Narrativa
Alana, Mayara, João Marco & Gabriela

              Tempos da Narrativa

O tempo tem papel imprescindível em uma narrativa. Ele nos situa na história, seja ele o tempo real ou o tempo que a personagem percebe. A sua função é a de nos manter situados, de maneira que possamos entender melhor os fatos. 

A narrativa é um tipo de texto e se diferencia dos outros em diversos aspectos, dentre eles: tempo, enredo, espaço e personagem.  O tempo na narrativa é crucial, pois, marca o período cronológico (tempo de um acontecimento), do inicio ao fim da história, ou seja, a história se desenvolve nesse tempo.  Existem diferentes tipos de tempo narrativo: o tempo do narrador e o tempo da ação (eventualmente podem ser o mesmo), o tempo na narrativa ficcional (onde a cronologia cria o seu tempo interno, atendendo a logica temporal de passado, presente e futuro) e a narrativa dos romances, novelas e contos (onde existem dois tipos fundamentais de tempo da história: o cronológico e o psicológico ou metafísico).

 

É de acordo com o ritmo do relógio, pelo movimento do sol, pelo calendário, estação do ano, etc. É um tempo objetivo, facilmente visível, podendo ser identificado até pelo leitor mais desprevenido.   No tempo cronológico os fatos podem se apresentar no momento em que estão acontecendo, ou seja, no presente, ou então, no passado, quando os fatos já aconteceram.  Além disso, também pode entremear presente e passado, por meio dos flashbacks. As narrativas de ação usam o tempo cronológico, as Histórias usam o tempo histórico e apresentam uma cronologia que corresponde à realidade histórica do passado.

Não obedece à cronologia, ou seja, não mantém nenhuma relação com o tempo propriamente dito, ele transcorre no interior de cada personagem e é determinado pelo desejo ou imaginação do próprio personagem (ou do narrador), de acordo com suas vivências subjetivas, angustias e ansiedades. O tempo psicológico é o tempo interior e pode ser alongado ou encurtado de acordo com o estado de espírito em que se encontra, ele muda de pessoa para pessoa.  No processo de criação de construção do tempo psicológico muitas vezes é usado o flashback.

 

"Depois de um dia estranho como aquele só queria deitar e dormir, mas ainda era três horas da tarde, o máximo que poderia fazer era tirar um cochilo assim que chegasse em casa, mas minha alegria durou pouco, foi só entrar no carro que meu celular tocou anunciando uma nova mensagem de texto.” — Tempo Cronológico

Ele já não consegue sentir mais nada ao seu redor, seus sentidos são sempre os primeiros a ir. Por mais que aquele processo levasse horas, ele não sentia nada disso. Ele sentia como se fossem apenas alguns minutos. Ele está completamente tonto agora, como se estivesse sonhando, seus pensamentos começam a ficar distantes de seu corpo, que se move rápido demais para sua mente.Tempo Psicológico 

Concluímos então com os dois textos disponibilizados, que o tempo na narrativa é de suma importância para o decorrer de qualquer história. Destacamos neste trabalho dois textos sendo um retratando o conceito de um tempo cronológico, o qual é marcado por um tempo objetivo, dando a oportunidade do leitor de ver o desenrolar do tempo histórico à sua frente. O outro texto retrata o conceito de um tempo psicológico, onde não tem como objetivo, obedecer um tempo cronológico, é determinado por um tempo interior que se alarga ou se encurta de acordo com o estado de espírito que o personagem se encontra, dando a oportunidade de fazer uma breve reflexão entre o passado e o presente, através de memórias e situações que o personagem convive.

posted 11 months ago with 1 note - reblog
Credit